quarta-feira, 25 de março de 2009

Como temos reagido diante do pecado?



PDF Imprimir E-mail
Escrito por CELSON DE PAULA VARGAS
03-Mar-2009

“Geralmente se ouve que há entre vós imoralidade, imoralidade que nem mesmo entre os gentios se vê, a ponto de haver quem vive com a mulher de seu pai. E vós estais inchados? e nem ao menos pranteastes para que fosse tirado do vosso meio quem praticou esse mal?” – 1Coríntios 5.1-2

A reação passiva da igreja de Corinto diante do pecado que a invadia, se tornando prática comum, progressiva e inovadora, levou o apóstolo Paulo a esta palavra de exortação, a qual deve ser aplicada a todas as igrejas, corpo, cuja cabeça seja Jesus. Para tanto, quero convidá-los a nos autoexaminarmos quanto às nossas reações diante das seguintes situações:

EMENDAS PESSOAIS SOBRE OS CONCEITOS DIVINOS PARA O PECADO

Desde que começamos a dar ouvidos a Satanás, ainda no Éden, quando nossos ancestrais consideraram que não era bem assim a ordem de Deus, fazendo o que ele tinha dito que não fizessem, surgiu em nós o lado doente da natureza de criar alternativas para o conceito dado por Deus ao pecado. Por isto continuamos, à semelhança de Corinto, vivenciando e até mesmo inovando nas imoralidades espirituais dentro e fora da igreja. Vestimentas mundanas, festas com músicas seculares e bebidas fortes, bailes em clubes e danças nas igrejas (cultos?), cultos irreverentes e poucas pregações que denunciem estes pecados. Isto é fruto de emendas pessoais nos conceitos divinos sobre o pecado, apresentado como questão de cultura, de litrugia, de contextualização da igreja. “Andais ensoberbecidos, e não chegaste a lamentar”, diz a Palavra.

OS PECADOS CREDITADOS AO NOSSO DESCONTROLE EMOCIONAL

Somos todos também, por natureza, pavios curtos, irados. Uns têm a capacidade de se controlar um pouco mais, outros nem tanto. O conceito do Senhor para isto é: “Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira” (Ef 4.26). Como temos vivido isto, por exemplo, com nossos cônjuges, nossos familiares, nossos subordinados, com os que nos atendem ou com os que atendemos? Se estivermos pecando nisto e creditando esta prática à nossa personalidade forte, estamos, além de pecando, reagindo pecaminosamente. Para a nova criatura formada em Cristo não há mais personalidade forte, mas, sim, um coração humilde e quebrantado capaz de reagir com brandura diante de qualquer situação. Um pacificador.


O MUNDO DAS IMORALIDADES:

Estamos e estaremos sempre ao alcance de um variado e farto farnel de imoralidades, como bem nos avisa Davi: “...e o meu pecado está sempre diante de mim” (Sl 51.3). Como escolhidos pelo Senhor para nossa vocação de sermos santos e irrepreensíveis (Ef 1.4), temos o dever de renegar e combater as imoralidades praticadas neste mundo. Será que temos feito isto? Por exemplo: Temos evitado o falar imoral dos chavões mundanos das piadas, mesmo as justificadas como gospel? Temos fechado nossos ouvidos para as imoralidades das músicas e anedotas? Temos reagido contra as imoralidades em nossos próprios arraiais, principalmente na igreja? Temos combatido as imoralidades dos olhos? Olhares com intenção impura, filmes, revistas, novelas (diz-se muito que há crentes noveleiros). A liberdade de decisão a nós concedida tem peso de responsabilidade. Paulo assim nos diz: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas” (1Coríntios 6.12).

A serpente está sempre agindo para nos induzir a conceitos alternativos para o pecado. Com isto ela anula a ação da igreja. Pensamos estar cumprindo a missão, mas talvez estejamos sendo enganados mediante o recebimento de um grande número de pessoas sem submetê-las aos parâmetros da verdade de Deus para os lavados no sangue de Cristo.

“Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e por fim a vida eterna” (Rm 6.22).

Se não vivermos a santificação, bateremos no portal celestial. Não entraremos (Hb 12.14).

CELSON DE PAULA VARGAS

Pastor da IB Monte Moriá em Volta Redonda (RJ)


EXTRAÍDO DE: www.ojornalbatista.com.br

1 comentários:

momentoscomdeus disse...

É com muita alegria que posso dizer que sou ovelha deste tão querido e bem direcionado Pastor.
Ele, com êxito, tem nos conduzido a plenitude do evangelho que, ainda que custoso, como deve ser, é a revelação do agrado de Deus.

Matheus Gerhard A.
Igreja Batista Monte Moriá
Volta Redonda - R.J.